sábado, 10 de julho de 2010

NOSSO CORPO FALA

Somos nós quem atraimos as situações boas ou más para nossas vidas pelos nossos pensamentos oriundos do nosso emocional ou da própria defesa que criamos por medos, insegurança ou até por poder.

Quem não teve oportunidade de ver uma criança fazer uma febre quando seus pais viajaram e repentinamente melhoram quando eles voltaram?

Existem estudos que associam o conteúdo psicológico a vários tipos de doenças e incidentes, demonstrando que, quando não trabalhamos adequadamente nosso psique, temos que aprender de outra maneira e muitas vezes pela dor, pois poucos seres humanos estão preparados para aprender as lições da vida pelo amor.

Nem todos se deram conta da necessidade de se auto-analisar, por ser uma manifestação do inconsciente e muitas vezes, de difícil aceitação, pois até as pessoas mais esclarecidas, que já tem o conhecimento desta manifestação, tende a negar em vez de vivenciar para superar os desafios.

Esse tipo de abordagem pode até substituir os remédios se a pessoa conseguir “dissolver” a energia estagnada, quando se dará conta que uma emoção lhe domina, que pode liberar o sentimento e ficar livre de uma doença no corpo físico, de preferência com a ajuda de um profissional da área

Para Saúde Integral, toda doença tem um fundo psicológico e se este não for tratado, ainda que haja uma aparente melhora, pode ter reincidência. Então é preciso estar atento às “dores emocionais”, as tristezas, desejos e expectativas da vida.

Abaixo dicas da relação da emoção com o corpo físico:
AMIGDALITE: Emoções reprimidas, criatividade sufocada, pessoa que fala muito, ofende ou se tranca, não fala.
ANOREXIA: Ódio ao externo de si mesmo.
APENDICITE: Medo da vida. Bloqueio do fluxo do que é bom.
ARTERIOSCLEROSE: Resistência. Recusa em ver o bem.
ARTRITE: Crítica conservada por longo tempo. Pessoas que criticam a si ou que criticam o outro.
ASMA: Sentimento contido, choro reprimido. Necessidade de ser amado.
Bexiga – Pressão, apego

Boca – Disposição para receber

BRONQUITE: Ambiente família inflamado, gritos, discussões.
Cabelos – Liberdade, poder
Coração – Capacidade de amar, emoção
Costas – Correção
CÂNCER: Mágoa profunda, tristezas mantidas por muito tempo, ressentimento.

Coluna: Medo da vida
COLESTEROL: Medo de aceitar a alegria.
DERRAME: Resistência. Rejeição à vida.
DIABETES: Tristeza profunda, viver do passado.
DIARRÉIA: Medo, rejeição, fuga.
DOR DE CABEÇA: Autocrítica, falta de autovalorização, controle.
Dentes – Agressividade, vitalidade
ENXAQUECA: Medos sexuais. Raiva reprimida. Pessoa perfeccionista.

Estômago – capacidade de absorção da vida, pensou que seria tudo diferente
FIBROMAS: Alimentar mágoas causadas pelo parceiro.
FRIGIDEZ: Medo. Negação do prazer, culpa.
Fígado – Avaliação, filosofia, religião, raiva, ressentimentos.
GASTRITE: Incerteza profunda. Sensação de condenação.

Gengivas – Desconfiança. Falta de dinheiro

HEMORRÓIDAS: Medo de prazos determinados. Raiva do passado.
HEPATITE: Raiva, ódio. Resistência a mudanças.
Intestino delgado – Elaboração, análise.
Intestino grosso – Inconsciente, ambição, indigestão com a vida.
INSONIA: Medo, culpa.

Joelhos – falta de humildade

LABIRINTITE: Medo de não estar no controle.
MENINGITE: Tumulto interior, falta de apoio.
Mãos – Entendimento, capacidade de ação, não consegue “agarrar”.
Membros – Movimentos, flexibilidade, atividade
Músculos – Mobilidade, flexibilidade, atividade

NÓDULOS: Ressentimento, frustração. Ego ferido.
Nariz – Poder, orgulho, sexualidade
Olhos – falta de discernimento. Não quer ver a realidade.
Ouvidos – Obediência. Não quer escutar alguém.
Órgãos genitais – Sexualidade
Ossos – Firmeza, cumprimento das normas, frustração por não fazer na vida o que gostaria.

PELE (acne): Individualidade ameaçada. Não aceitar a si mesmo.
PNEUMONIA: Desespero. Cansaço da vida, desamor.
PRESSÃO ALTA: Problema emocional duradouro não resolvido.
PRESSÃO BAIXA: Falta de amor em criança. Derrotismo.
PRISÃO DE VENTRE: Preso ao passado. Medo de não ter dinheiro suficiente. Agarra-se ao que é velho.
PULMÕES: Medo de absorver a vida, desilusão.
Pele – Delimitação, normas, contato, carinho, rejeição.
Pênis – Poder, sexualidade ameaçada ou reprimida.
Pés – Compreensão, firmeza, enraizamento, humildade. Medo de caminhar na vida.
Pescoço – Medo, rigidez.
QUISTOS: Alimentar mágoa. Falsa evolução.

RESFRIADOS: Confusão mental, desordem, mágoas. Querendo por “algo “ para fora.
REUMATISMO: Sentir-se vítima, crítica, falta de amor, amargura.
RINITE ALÉRGICA: Congestão emocional, culpa, crença em perseguição.
Rins – Medos, discernimento, eliminação.
Sangue – Força vital, vitalidade
SINUSITE: Irritação com pessoa próxima.

TIREÓIDE: Humilhação, comunica-se mal.
TUMORES: Alimentar mágoas. Acumular remorsos.
ÚLCERAS: Medo. Crença de não ser bom o bastante.

Unhas – Agressividade
Vagina – Entrega

VARIZES: Desencorajamento, sentir-se sobrecarregado.
Vesícula biliar – Agressividade, raiva.

Este texto foi baseado em vários livros entre eles: “A Doença Como Caminho”, de Thorwald Dethlefsen e Rüdiger Dahlke – Editora Cultrix

Suzete é Naturopata, Iridóloga e Instrutora dos Exercícios Visuais. Autora do livro: Cuide de Seus Olhos

Contato: suzete@saudeintegral.com

Sites: www.saudeintegral.com, www.iridologiasp.com.br e www.metodobates.com.br

FONTE: http://www.saudeintegral.com/artigos/nosso-corpo-fala.html

quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

Tema, padrão metafísico e novo padrão

Alergia
Na metafísica a alergia é desencadeada pelo estado de alerta diante das situações da vida e a tendência a ficar na defensiva ao encará-las; Isso gera tensão e medo que é interpretado como um estado emocional abalado. Ele se manifesta nos momentos de enfrentar essas situações difíceis.

Para se trabalhar interiormente procure não ficar na retaguarda, apavorada e se preparando para uma situação como se fosse uma grande batalha a enfrentar. Saiba mais sobre o assunto no livro: Metafísica da Saúde vol.1. Autores: Valcapelli e Gasparetto.,

Anemia
Sabotar a capacidade de ser bom nas coisas que se propõe a realizar.

Aprender a se amar e se respeitar, a não se agredir, a lidar com o poder e controle da situação se por do próprio lado para vencer os desafios da existência. Tenha em mente que tudo na vida passa, menos o direito de ser feliz. Essa é uma conquista do espírito e um direito nosso. O maior poder está sobre si mesmo e não nas situações externas. Saiba mais sobre o assunto no livro: Metafísica da Saúde vol.2 . Autores: Valcapelli e Gasparetto.

Alzheimer
A degeneração das células nervosas, metafisicamente, é o "deteriorar dos conteúdos internos". Representa que a pessoa ao longo da vida não conseguiu manter adequadamente o seu poder sobre as questões da vida. Não se auto dirigiu, nem tampouco conseguiu ser bem sucedido na excussão das suas próprias coisas. Pode-se dizer que em vez dele ter sido um vitorioso, por conseguir resultados que o realizassem, sente-se derrotado.No tocante a agressividade que explode em alguns momentos, refere-se ao quanto ele se conteve durante a vida.

É preciso que os cuidadores, nesse momento, tenham força. Que a tolerância e a compreensão sirvam como bálsamos evitando a revolta e indignação.Que esta doença sirva de lição: Viver respeitando seus limites, preservar as condições internas, e principalmente, não deteriorar aquilo que é precioso num ser humano, o seu próprio senso e o seu poder de decidir e agir, de acordo com seus valores internos. Saiba mais sobre o assunto no livro: Metafísica da Saúde vol.4. Autores: Valcapelli e Gasparetto.

Náusea
Resistência àquilo que se desenrola ao redor. O padrão metafísico apresenta tendência a recusar interagir com aquilo que não gosta ou mesmo que não vai ao encontro de seus anseios, rejeição a fatos não agradáveis.

Nem sempre as coisas são como agente quer, evite o mimo. Saiba mais sobre o assunto no livro: Metafísica da Saúde vol.1 Autores: Valcapelli e Gasparetto.

Vômito
Resistência àquilo que se desenrola ao redor. O padrão metafísico apresenta tendência a recusar interagir com aquilo que não gosta ou mesmo que não vai ao encontro de seus anseios, rejeição a fatos não agradáveis.

Nem sempre as coisas são como agente quer, evite o mimo. Saiba mais sobre o assunto no livro: Metafísica da Saúde vol.1 Autores: Valcapelli e Gasparetto.

Bexiga e infecção urinária

Infecção urinária metafisicamente refere-se a conflitos no relacionamento, irritação com aquele que está do seu lado, geralmente a maior causa dessa irritação não é bem o que a pessoa faz ou deixa de fazer, o que mais incomoda mesmo é pelo fato de ser sempre assim na sua vida, as coisas sempre foram assim com você. Então na verdade aquilo que o outro apresenta te afeta por ser algo que você vivenciou e não se desprendeu.

Pare de se lamentar com os seus infortúnios afetivos e curta aquilo de bom que acontece com você. Saiba mais sobre o assunto no livro: Metafísica da Saúde vol.2. Autores: Valcapelli e Gasparetto.

Cistite
Infecção urinária metafisicamente refere-se a conflitos no relacionamento, irritação com aquele que está do seu lado, geralmente a maior causa dessa irritação não é bem o que a pessoa faz ou deixa de fazer, o que mais incomoda mesmo é pelo fato de ser sempre assim na sua vida, as coisas sempre foram assim com você. Então na verdade aquilo que o outro apresenta te afeta por ser algo que você vivenciou e não se desprendeu.

Pare de se lamentar com os seus infortúnios afetivos e curta aquilo de bom que acontece com você.

Uretrite
Infecção urinária metafisicamente refere-se a conflitos no relacionamento, irritação com aquele que está do seu lado, geralmente a maior causa dessa irritação não é bem o que a pessoa faz ou deixa de fazer, o que mais incomoda mesmo é pelo fato de ser sempre assim na sua vida, as coisas sempre foram assim com você. Então na verdade aquilo que o outro apresenta te afeta por ser algo que você vivenciou e não se desprendeu.

Pare de se lamentar com os seus infortúnios afetivos e curta aquilo de bom que acontece com você. Saiba mais sobre o assunto no livro: Metafísica da Saúde vol.2. Autores: Valcapelli e Gasparetto.

Cabelo, queda
No âmbito metafísico, os cabelos representam nossa defesa e proteção. Porque eles caem? Por que não estamos dando fiança àquilo que sentimos ou pensamos. Por não ter segurança em si, a pessoa apega-se ao que advém dos outros para sentir-se protegida e segura.

Procure resgatar aquilo que lhe é próprio. Sentir-se bem com aquilo que decide, com as medidas tomadas na vida; com a forma de pensar e agir. Afiançar a suas próprias decisões. Basicamente essas atitudes metafisicamente são benéficas ao cabelo, fortalecendo o bulbo capilar.

Cálculo na Vesícula
O padrão metafísico refere-se ao fato da pessoa protelar sua expressão, deixando para depois a manifestação daquilo que chateia e acaba não expressando. É algo como excesso de tolerância. Precisa resgatar a autenticidade e ser mais preciso na colocação daquilo que incomoda.

A vesícula não tem vias de eliminação desses cálculos, nesse caso só a desmaterialização resolveria o problema e isso é muitíssimo raro de alguém alcançar. Vale a pena trabalhar as causas metafísicas para não guardar tantas emoções e indignações que não são expressas. Procure um bom cirurgião gastro, e retire sua vesícula, você vai sentir-se melhor sem ela. Saiba mais sobre o assunto no livro: Metafísica da Saúde vol.1. Autores: Valcapelli e Gasparetto.

Catarata no olho direito
No tocante a causa metafísica da catarata, refere-se à dificuldade de encarar as verdades acerca das pessoas que estão do seu lado. Admitir que os outros não são como você que fossem, ou ainda não têm um grande sentimento em relação a você, ou eles não são de boa índole, como você gostaria que fossem.

Não é fácil encarar algumas verdades que estão por trás das aparências, mas é necessário admitir isso, pos um dia elas vêm à tona, é melhor estar preparado para não se decepcionar.

Coceira
A pele metafisicamente representa um órgão do contato, manifestar aquilo que lhe é próprio. Frustrando a expectativa manifestadora, a insatisfação de não ter realizado aquilo tudo que gostaria, faz com que a integridade pessoal fique abalada.

É. Necessário respeitar os seus limites, não fazer tanta expectativa acerca do seu próprio desempenho nas situações externas. O que for possível de ser feito será de bom grado.

Urticária
A pele metafisicamente representa um órgão do contato, manifestar aquilo que lhe é próprio. Frustrando a expectativa manifestadora, a insatisfação de não ter realizado aquilo tudo que gostaria, faz com que a integridade pessoal fique abalada.

É. Necessário respeitar os seus limites, não fazer tanta expectativa acerca do seu próprio desempenho nas situações externas. O que for possível de ser feito será de bom grado.

Cólica menstrual
Metafisicamente, problemas menstruais refere-se a dificuldade de lidar com as mudanças. No tocante a cólica refere-se a apego. Permanecer apegado a uma situação e não realizar as transições necessárias.

Na vida muitas mudanças ocorrem, é necessário que a mulher desenvolva a capacidade de realizar as transições para manter a harmonia da convivência. Avalie o nível de apego que evitou a renovação em algum setor da vida. É importante trabalhar o desprendimento e reforçar o propósito de adaptar-se as diversas situações da vida. Saiba mais sobre o assunto no livro: Metafísica da Saúde vol.2. Autores: Valcapelli e Gasparetto.

Colite
No âmbito metafísico a colite está relacionada a constituição de laços familiares e afetivos com caráter de dependências, impedindo o crescimento pessoal. Profunda irritação pela situação que provocou o rompimento de uma relação simbiótica.

É importante se dar o direito de se sentir arrasado com os fatos e não permitir que as ocorrências externas acabem com o seu bem-estar. Saiba mais sobre o assunto no livro: Metafísica da Saúde vol.1. Autores: Valcapelli e Gasparetto.

Dentes
No Âmbito metafísico os dentes representam firmeza de caráter e capacidade de tomar decisões na vida. Portanto, problemas referem-se a insegurança, dúvidas que abalam a força realizadora.

Procure desenvolver a segurança necessária para tocar seus projetos de vida, não se deixar abalar pelas situações ao redor. Acredite, você pode e também é capaz de conquistar a felicidade, basta ser mais determinada. Saiba mais sobre o assunto no livro: Metafísica da Saúde vol.1. Autores: Valcapelli e Gasparetto.

Dentes, canal
Metafisicamente os problemas que afetam o canal dos dentes estão relacionados a profundos abalos nas crenças da pessoa. É como sofrer sérias decepções e passar a questionar à respeito daquilo que acreditava.

A medida que a pessoa supera essa invasão e se refaz interiormente, qualquer tratamento será muito bem sucedido. Saiba mais sobre o assunto no livro: Metafísica da Saúde vol.1. Autores: Valcapelli e Gasparetto.

Depressão
Quando nos sentimos fragilizados e abatidos é porque não desenvolvemos uma boa estima, não preservamos o auto valor, nem tampouco mantemos nosso amor próprio. Não é fácil sair dela sozinha, a ajuda de um psicólogo, que te leve ao encontro consigo mesmo, torna-se indispensável.

Comece a dar a si tudo aquilo que você esperava dos outros. Seja sua própria companheira, faça as pazes consigo que a felicidade será conquistada.

Diabete
No âmbito metafísico o diabético é um indivíduo que tem um histórico de vida repleto de frustrações e sofrimentos, que o tornaram triste, rancoroso e pessimista, não conseguem se desprender das mágoas. A pessoa perde o gosto pela vida.

Procure apoiar-se em si mesmo. Não dependa das condições externas para melhorar seu mundo interno. Resgate o potencial do ser. Aprimore a qualidade interna, isso será de grande ajuda para apreciar com mais ênfase as situações que te cercam. Abandone o pessimismo e assuma o otimismo, que a vida vai melhorar, e a saúde fará parte de seus dias. Saiba mais sobre o assunto no livro: Metafísica da Saúde vol.1. Autores: Valcapelli e Gasparetto.

Diverticulite
Metafisicamente, refere-se a um estado interior de saudosismo e arrependimento. Trata-se de alguém triste e amargurado, ou porque as coisas a sua volta não corresponderam aquilo que idealizou, revoltado por deparar-se a fatos que comprovam que todos os esforços para as realizações foram em vão,ou por abster-se da companhia de pessoas queridas para investir numa condição ideal para o futuro,ou ainda por alguém que não correspondeu a tudo o que fez, melhor dizendo, é a condição metafísica desencadeadora da infecção dos divertículos existentes nas paredes do intestino grosso.

Para reverter essa condição interna, é necessário desprender-se dos golpes da vida provocados por aqueles que consumiram toda a sua atenção e dedicação e não tiveram a dignidade de corresponder a tudo o que receberam. Perdoe-os. Saiba mais sobre o assunto no livro: Metafísica da Saúde vol.1. Autores: Valcapelli e Gasparetto.

Dor de cabeça
Metafisicamente dor de cabeça representa uma resistência em acatar acontecimentos inusitados da vida, se opor e não admiti-los. Ficar indignado com tais episódios.

Reflita se não existe algo te pressionando, obrigando-lhe a fazer determinada coisa que te deixe indignado, ou ter que acreditar em algo que não concorda? Saiba mais sobre o assunto no livro: Metafísica da Saúde vol.4. Autores: Valcapelli e Gasparetto.

Dor de dente
No Âmbito metafísico os dentes representam firmeza de caráter e capacidade de tomar decisões na vida. Portanto, problemas referem-se a insegurança, dúvidas que abalam a força realizadora.

Procure desenvolver a segurança necessária para tocar seus projetos de vida, não se deixar abalar pelas situações ao redor. Acredite, você pode e também é capaz de conquistar a felicidade, basta ser mais determinada.

Endometriose
Metafisicamente é a tentativa da mulher em se afirmar como pessoa diante daqueles que a cercam. O mecanismo adotado para alcançar esse objetivo é o de querer que os outros sejam iguais a si, que pensem e ajam à sua maneira. “se todos forem iguais a mim, não vou me sentir inadequado”.Isso representa não estar seguro quanto ao seu próprio jeito de ser.

Ficar seguro de que temos o direito de ser diferente dos outros, agir a nossa maneira sem querer "forçar a barra" para que as pessoas também sejam assim; respeitar o nosso estilo e deixar que cada um faça a sua maneira.

Enjôo
Resistência àquilo que se desenrola ao redor. O padrão metafísico apresenta tendência a recusar interagir com aquilo que não gosta ou mesmo que não vai ao encontro de seus anseios, rejeição a fatos não agradáveis.

Nem sempre as coisas são como agente quer, evite o mimo. Saiba mais sobre o assunto no livro: Metafísica da Saúde vol.1. Autores: Valcapelli e Gasparetto.

Epilepsia
Metafisicamente a epilepsia representa uma intensa descarga de impulsos recalcados, o ataque epilético é a explosão desses impulsos guardados manifestados em uma única vez.Geralmente é alguém impulsivo, criativo, que se apaixona facilmente pelas pessoas e pelas coisas; porém reprime todo esses entusiasmos tornando-se uma pessoa moderada e as vezes até pacata.

Não contenha sua emotividade, é importante estar sempre atendo a construir oportunidades para agir. Nunca se cale, encontre um meio de se pronunciar; nunca pare, encontre um meio de algo realizar. Saiba mais sobre o assunto no livro: Metafísica da Saúde vol.4. Autores: Valcapelli e Gasparetto.

Erisipela
A erisipela representa os ferimentos obtidos no contato com a realidade. O quanto a pessoa se machucou no contato com aqueles que a cercam. Ela não se desprende de tudo o que aconteceu de ruim na realidade, com isso é consumida pelo arrependimento do que fez ou pela lembrança dos episódios nocivos que presenciou no passado.

Para reverter o processo: desprender-se do passado e ser plena no presente, parar de cultivar as chagas vivenciadas e aproveitar a oportunidade que a vida oferece no presente.

Espinhas
Não se aceitar da forma que se apresenta aos outros. Eleger-se (talvez) impura ou indigna quanto a maneira que se coloca perante os outros. Resumindo falta de auto aprovação.

Para mudar o padrão: se aprove, se respeite, aprimore o jeito de ser. Sinta-se puro e respeitável diante das pessoas.

Estria
Resumidamente a metafísica da estria refere-se a pessoa romper consigo mesma frente àqueles que a cercam; não falar aquilo que pensam, nem tampouco preservarem suas características pessoais. A pele metafisicamente é o órgão do contado, assim, quanto não evidenciamos aquilo que somos, para se adaptar ao meio em que vivemos, rompemos com nossa essência.

Procure ser mais fiel a si mesma, seja sincera agindo a sua maneira. Não é nada arriscado falar o que pensa, ao contrário, você irá ficar satisfeita consigo mesma.

Febre
No âmbito metafísico esse padrão refere-se a um estado de profunda irritação contida.

É importante elaborar o nervosismo e permitir que expresse suas irritabilidades.

Fibroma
Resumidamente O útero refere-se a maneira de ser, o estilo e característica da mulher. Aquele jeito só da pessoa em lidar com os acontecimentos. Quando bloqueia essa natureza e adota nova conduta, sem respeitar seu jeito de ser. Metafisicamente é bloqueio e negação da originalidade.

Faz-se necessário resgatar o estilo próprio. Saiba mais sobre o assunto no livro: Metafísica da Saúde vol.2. Autores: Valcapelli e Gasparetto.

Fibromialgia - Dor Facial
Metafisicamente os músculos referem-se a capacidade realizadora, já a face corresponde a auto imagem; dor é o reflexo de ferir-se ou punir-se.Assim, a fibromialgia é uma condição física que reflete o conflito da auto-imagem. A atitude rígida para consigo mesmo, condenar-se ou arrepender-se pelo que faz, ficar achando que deveria mais ou fazer melhor.

Para mudar a atitude interior, é necessário ficar mais do seu lado, respeitar seus limites e compreender que fazemos num momento aquilo que está ao nosso alcance. Não podemos ficar nos cobrando, isso desgasta a energia necessária para realizar o que é preciso.

Furúnculo
Metafisicamente furúnculo representa uma reprovação das próprias características, negar seu jeito de ser.

É importante resgatar a auto aprovação, se aceitar, e não deixar que alguns conceitos externos causem transtornos de aceitação para consigo.

Gastrite
A gastrite refere-se metafisicamente a irritação com o que se passa ao redor. Preocupação excessiva com os episódios que estão a nossa volta.

Procure ser mais tolerante e menos tenso com o que se passa com você. Procure nutrir pensamentos saudáveis. Saiba mais sobre o assunto no livro: Metafísica da Saúde vol.1. Autores: Valcapelli e Gasparetto.

Glaucoma
Metafisicamente o Glaucoma é um reflexo no físico, do quanto a pessoa se sente pressionada e responsável pelas situações que se passa ao redor. Geralmente essa autocobrança existe nas pessoas propensas a assumir exageradamente aquilo que está a sua volta.

É importante desenvolver a fé nos melhores resultados, a confiança nos processos da vida, deixar de assumir as responsabilidades dos outros e se culpar por aquilo que acontece de ruim.

Glóbulos brancos, baixo nível
Metafisicamente os glóbulos brancos representam nossa integridade pessoal, a capacidade de não se deixar abater por nenhuma interferência do meio externo. Baixo nível desses glóbulos é indício de que estamos nos sentindo abatidos ou até vencidos por alguma situação que abala a nossa certeza.

É necessário fortalecer as condições internas para que nada abale a certeza nos melhores resultados.

Gordura, obesidade
Reflete a necessidade de defesa e proteção, um sentimento de vazio e insegurança, bem como a dificuldade de viabilizar os planos.

Não permita que seus receios sufoquem sua expressão na vida Sinta-se livre e disposto a ser o que você é. Não veja a vida como se fosse arriscada e perigosa; nem tampouco as pessoas como juizes que estão prontos a te recriminar. Saiba mais sobre o assunto no livro: Metafísica da Saúde vol.3. Autores: Valcapelli e Gasparetto.

Gordura localizada
Gordura localizada representa estar se poupando da livre expressão, não deixar fluir a sua capacidade articuladora,a criatividade e flexibilidade.

Não permita que seus receios sufoquem sua expressão na vida Sinta-se livre e disposto a ser o que você é. Não veja a vida como se fosse arriscada e perigosa; nem tampouco as pessoas como juizes que estão prontos a te recriminar.Saiba mais sobre o assunto no livro: Metafísica da Saúde vol.3. Autores: Valcapelli e Gasparetto.

Gordura - na região abdominal
Gordura localizada no abdome representa a postura em defender-se do ambiente, medo de ser afetado pelas situações nocivas que estão a sua volta. Esse é um fator metafísico, o outro é a negação das suas vontades, repressão dos seus impulsos.

Não permita que seus receios sufoquem sua expressão na vida Sinta-se livre e disposto a ser o que você é. Não veja a vida como se fosse arriscada e perigosa; nem tampouco as pessoas como juizes que estão prontos a te recriminar. Saiba mais sobre o assunto no livro: Metafísica da Saúde vol.3. Autores: Valcapelli e Gasparetto.

Gordura na região do culote
Gordura localizada representa metafisicamente estar se poupando da livre expressão, não deixar fluir a sua capacidade articuladora. O acúmulo de gordura no culote ou ancas representa falta de jogo de cintura nas situações práticas do cotidiano e contenção da impulsividade.

Não permita que seus receios sufoquem sua expressão na vida Sinta-se livre e disposto a ser o que você é. Não veja a vida como se fosse arriscada e perigosa; nem tampouco as pessoas como juizes que estão prontos a te recriminar. Saiba mais sobre o assunto no livro: Metafísica da Saúde vol.3. Autores: Valcapelli e Gasparetto.

Gordura na região dos braços
Gordura localizada representa estar se poupando da livre expressão, não deixar fluir a sua capacidade articuladora, a criatividade e flexibilidade, Nos braços, diz respeito as suas tarefas.

Não permita que seus receios sufoquem sua expressão na vida Sinta-se livre e disposto a ser o que você é. Não veja a vida como se fosse arriscada e perigosa; nem tampouco as pessoas como juizes que estão prontos a te recriminar. Saiba mais sobre o assunto no livro: Metafísica da Saúde vol.3. Autores: Valcapelli e Gasparetto.

Tosse
Tosse, representa conteúdos (crenças e valores) profundamente arraigados. Quando tossimos, é como se nosso corpo se mobilizasse para despojar as informações que um dia nos foram úteis, no entanto hoje impede de agir livremente, com segurança e fé.

É preciso fazer uma reformulação dos valores internos, para se despojar daquilo que dificulta sua fluidez na vida atual. Confie e se renove. Saiba mais sobre o assunto no livro: Metafísica da Saúde vol.1. Autores: Valcapelli e Gasparetto.

Inchaço nas pernas
Os aspectos metafísicos relacionados ao inchaço, refere-se a uma atitude de recolhimento e falta de entrega à vida e às situações existenciais

É importante que você tenha um bom nível de entrega, sentindo-se em condições de ser bem sucedido.

Labirintite
Metafisicamente a labirintite representa fuga ou negação daquilo que está ao redor, como ouvir algo que o chateia profundamente e se negar a encarar aquilo, acionando assim os processos somáticos da labirintite provocando a tontura.

Reflita a respeito de acontecimentos que você viveu recentemente, que ainda não está resolvido, procure se despojar daquilo que te aflige, superando os sentimentos de excessiva indignação e aceitando a verdade dos fatos. Saiba mais sobre o assunto no livro: Metafísica da Saúde vol.3. Autores: Valcapelli e Gasparetto.

Má drenagem linfática
Os aspectos metafísicos relacionados ao Sistema Linfático, resumidamente, referem-se a uma atitude de recolhimento e falta de entrega à vida e às situações existenciais.

É importante ter um bom nível de entrega, sentir-se em condições de ser bem sucedido. Não permita que o fantasma do medo do futuro torne-o inseguro.

Maxilar
ATM ATM, refere-se à dosagem da força agressiva, a mobilização da nossa força perante os outros.

Refletir acerca de seu esforço para convencer os outros sobre o que você acredita; basta você crer. Caso você queira que os outros acreditem também, procure provar as coisas com ações e não com explicações. Ainda assim, sua movimentação para transmitir aos outros uma imagem melhor de si, pode estar sendo exagerada. Procure mover-se na vida focada mais no significado que as coisas têm para você, do que na repercussão de seus gestos. Saiba mais sobre o assunto no livro: Metafísica da Saúde vol.1. Autores: Valcapelli e Gasparetto.

Mioma do útero, fibroma
O útero refere-se a maneira de ser, o estilo e característica da mulher. Aquele jeito só da pessoa em lidar com os acontecimentos. Quando bloqueia essa natureza e adota nova conduta, sem respeitar seu jeito de ser, metafisicamente é bloqueio e negação da originalidade.

É necessário resgatar o estilo próprio. Saiba mais sobre o assunto no livro: Metafísica da Saúde vol.2. Autores: Valcapelli e Gasparetto.

Nódulos na virilha
Metafisicamente representa bloqueios na intimidade do prazer. Dificuldade de se relacionar com aquilo que proporciona prazer e satisfação. Isso pode se manifestar tanto na vida íntima (sexual) como nas atividades prazerosas da vida.

É importante superar as dificuldades encontradas nestas áreas da vida. Se permita fazer o que você gosta e te faz bem Assumir o direito de ser feliz e realizado.

Olhos, Pálpebras
Os olhos representam a capacidade de desvendar aquilo que está por trás do que acontece, ou seja, as verdades dos fatos. As pálpebras se relacionam com o direito de nos poupar para não sofrer.

Reflita acerca daquilo que vêm acontecendo, as descobertas que vem fazendo, e o quanto essa verdade o tem abalado. Não queira continuar se enganando. A verdade é o caminho mais curto para o sucesso pessoal e afetivo.

Sinusite
Sinusite metafisicamente refere-se à irritação provocada pelas pessoas que te rodeiam. A verdadeira causa dessa irritação não é bem o que a pessoa faz, mas sim o fato dela não corresponder ao que você esperava que fizesse.

Procure esperar menos das pessoas e viver mais aquilo que elas tem para te oferecer como amizade, parcerias etc. Saiba mais sobre o assunto no livro: Metafísica da Saúde vol.1. Autores: Valcapelli e Gasparetto.

Sistema linfático
Os aspectos metafísicos relacionados ao Sistema Linfático, referem-se a uma atitude integradora, acrescida de um sentimento de integridade. melhor dizendo sentir-se bom o bastante para aquilo que pretende realizar na vida.

É importante ter um bom nível de entrega, sentir-se em condições de ser bem sucedido na vida.

Tendinite
Quanto aos aspectos metafísicos da tendinite: refere-se a maneira complicada de realizar as tarefas. Se cobrar muito quando não consegue dar conta daquilo que esperava fazer. Sente-se limitado e não acha que está fazendo o suficiente.

Atitudes saudáveis: Procure realizaras as tarefas sem tanta cobrança para não se chatear quando não atingir os objetivos. Sobretudo, não se abale com os resultados; se eles não forem promissores, procure satisfazer-se pelo fato de algo ter feito em prol dos outros ou dos meios. Pense: fiz minha parte; o possível está feito, o impossível não cabe a mim. Saiba mais sobre o assunto no livro: Metafísica da Saúde vol.3. Autores: Valcapelli e Gasparetto.

Triglicérides
Metafisicamente o triglicérides refere-se a rupturas familiares que deixam seqüelas emocionais. Podem se ocasionadas por alguém, e que tenta a todo custo ser aceito novamente ou por um fator, que não coube a própria pessoa, mas ela sente-se na obrigação de reatar os laços.

É importante que a pessoa tire essa obrigação excessiva e até neurótica de reorganizar o meio familiar, ser aceita ou unir a todos os integrantes da família. Na trajetória tem momento para tudo, esse, de união familiar, por mais dolorido que seja, já passou.

Túneo do Carpo
Quanto aos aspectos metafísicos da tendinite: refere-se a maneira complicada de realizar as tarefas. Se cobrar muito quando não consegue dar conta daquilo que esperava fazer. Sente-se limitado e não acha que está fazendo o suficiente.

Atitudes saudáveis: Procure realizaras as tarefas sem tanta cobrança para não se chatear quando não atingir os objetivos. Sobretudo, não se abale com os resultados; se eles não forem promissores, procure satisfazer-se pelo fato de algo ter feito em prol dos outros ou dos meios. Pense: fiz minha parte; o possível está feito, o impossível não cabe a mim.

Útero, cisto hemorrágico
Metafisicamente refere-se a bloqueio ao estilo próprio.Quando o cisto for hemorrágico, significa que a pessoa se perde na hora de preservar seu estilo próprio. Não consegue preservar naturalmente aquilo que ela própria é, quando o faz exagera, ou "força a barra".

Procure fluir naturalmente ser o que é, sem agredir a ninguém, nem tampouco reprimir o seu estilo. Saiba mais sobre o assunto no livro: Metafísica da Saúde vol.2. Autores: Valcapelli e Gasparetto.

Fonte: http://www.valcapelli.com.br/

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

O corpo e seus segredos

Muitos pensam que sentir dor é apenas um mau funcionamento do organismo. O organismo vivo não pode funcionar porque não é máquina, ele não tem engrenagens. O corpo vivo se auto-organiza para manter sua estrutura íntegra. São aspectos diferentes. Qualquer analogia com as máquinas é estar à mercê de equívocos.
O corpo humano pode ser interpretado pelo mecanicismo, sem conjurar aspectos complexos. Ao me remeter à complexidade quero afirmar que o corpo é referência relacionada a uma miríade de outros aspectos.
Infelizmente, muitos fisioterapeutas entendem o corpo pelo aprendizado da anatomia. Nas faculdades a visão do corpo morto, inerte, equilibrado, ainda é o meio simples de explicá-lo. Em contrapartida, o corpo vivo é dinâmico, incerto, irregular e imprevisível. Qualquer interpretação é só um ponto de vista.

Semana passada atendia a um homem de 60 anos com dores na região lombar, em decorrência de uma espondilolistese L5, quando ele me disse: “Sinto fortes dores, e mal-estar nesta região”. Eu perguntei: “você acha que existe alguém a lhe provocar este mal-estar?”. Ele não entendeu a pergunta. Então eu pressionei suavemente a região paravertebral lombar e perguntei: “quem lhe gera mal-estar?”. Ele, ao sentir uma forte dor, me respondeu sem pensar: “a minha mulher”. Chorou copiosamente, e a dor aumentou tanto que não conseguia se levantar. Após alguns instantes, ele relaxou e a dor desapareceu. Ficou muito assustado, ele não sabia como proceder. Não entendeu porque disse aquilo. Ele se arrependeu, e ao acusar a mulher a culpa tomou posse do corpo.
Quando me deparei pela primeira vez com um processo como esse fiquei perplexo, cheguei a achar que tinha poderes sobrenaturais envolvidos. Achava que as respostas corporais relacionadas à história individual eram pura magia. O que eu não compreendia era como isso seria possível, como o corpo podia ter inteligência. A inteligência não diz respeito ao cérebro?
Contudo, o tempo passou, e pude vivenciar cada vez mais situações como essa, e aprender que a mente está em toda parte, ela não é o cérebro.
Com o tempo aprendi a recusar a ser um fisioterapeuta da máquina, e pensar em consertar peças danificadas. Assim, tive de sair do âmbito da medicina (como ciência tradicional mecanicista), e partir para um novo espaço, o âmbito do corpo vivo.
Primeiro aspecto relevante foi saber que o corpo como estrutura em processo contínuo de auto-organização (para saber mais ler a obra de Humberto Maturana e Francisco Varela) não possui causa única para um problema. Pelo fato de o corpo ser inconstante toda perturbação não tem etiologia determinada. Tudo é questão de interpretação. Toda interpretação é feita pelo observador, que a faz pela linha de um conhecimento específico.
Segundo, o corpo é tão simbólico quanto material. Isto é, se todos os aspectos de nosso corpo são percebidos a partir de uma representação cerebral (homúnculo de Penfield, por exemplo), o corpo na verdade é interpretado pelo filtro cerebral do sujeito. Assim, o que sinto e como sinto dependerá da relação de minha subjetividade para com o meu corpo objetivo.
Terceiro, nossa história está permeada pelas sensações corporais, pois o corpo é uma importante referência que temos do mundo. O que vivemos nada mais é do que aquilo que manifestamos no corpo. Por assim dizer, ele é o palco de manifestação de todas as experimentações ao longo do tempo. A física moderna nos mostra que tempo e espaço são indissociáveis, um depende do outro para existir.

Quando o homem se referiu à dor como sendo a sua esposa, ele na verdade sinalizou o conflito. A dor nada mais era do que a experiência de anos de pressão emocional. Se a emoção é uma energia em movimento expressa pelo corpo não fica difícil entender o quanto a quinta vértebra não suportou a pressão, e se deslocou em busca de harmonia.
Se o corpo busca a auto-organização para viver, busca também a manutenção da estrutura (sobrevivência). Como ele não sobreviveria tanto tempo suportando a pressão, resolveu ceder, abandonar o posicionamento e deslizar (sair) da situação.
Portanto, em um plano simbólico, que não deixa de ser material, a vértebra passou a significar a representação dele mesmo que foge – deslizamento (listese) da vértebra –do conflito com a esposa.
Vivemos em busca da harmonia, porém o nosso corpo apresenta uma linguagem muito mais complexa do que simplesmente podemos compreender pela razão. Se existe uma força inteligente que muda os ciclos de nossa natureza biológica, sem nos darmos conta, é importante levar em consideração esses aspectos no momento do atendimento fisioterapêutico. Essa visão não é simplesmente psicossomática, mas também somatopsíquico. Porque uma vez que a pessoa consiga se sentir bem (sem dores) o próprio modo de conceber os problemas da relação se torna mais fácil de ser solucionado.
Após a sessão, o meu cliente resolveu fazer uma viagem com a esposa e tentar se sentir melhor com ela. Se ele conseguiu não posso afirmar, porém com certeza ele teve muito mais chances de lograr sucesso.
Finalizando, não considero o corpo e a mente entidades separadas. O corpo, a meu ver, é a manifestação mais concebível da mente. E, pegando carona na citação de William Shakespeare, eu diria que há mais mistérios entre a mente e o corpo do que pressupõe a vossa vã filosofia.


Por Pedro Paulo Monteiro
Fisioterapeuta e Terapeuta Corporal. Autor de seis obras: Envelhecer: histórias, encontros e transformações, Quem somos nós? – O enigma do corpo, A mente e o Significado da Vida, o livro infanto-juvenil “Por que os sapos são verdes”, e os dois primeiros volumes da Coleção Envelhecer & Viver: Envelhecer ou Morrer, Eis a Questão, A beleza do Corpo na Dinâmica do Envelhecer.


http://pedropaulomonteiro.com/

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Pés perseverantes


Jornal de bairro (Morumbi, Zona Sul, Brooklin News, Campo Belo, Butantã) - 08/01/2009

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

A ADMINISTRAÇÃO DO ESTRESSE

Já que o estresse faz parte da vida, é importante que se esteja preparado
para conviver com ele. Para isto é necessário que se desenvolvam técnicas
para administrá-lo. Eis algumas delas.

Planejar-se com antecedência, contando com as dificuldades de trânsito,
para não fazer como algumas pessoas que acabam marcando mais
compromissos do que podem realizar. M.M. era uma destas pessoas
e sempre se atrasava para seus compromissos. Certo dia encontrava-se
em S. Paulo e, ao telefonar para seu médico carioca marcando uma
consulta para aquela mesma tarde, deixou escapar o seguinte raciocínio:
“Vou pegar a Ponte das duas horas e levo vinte minutos de táxi
para ir do aeroporto até seu consultório. Pode marcar minha consulta
para as duas e meia.” O médico estranhou e perguntou se o vôo
chegava às duas horas no Rio. “Não, sai daqui às duas”, respondeu
seu paciente, levando ainda alguns segundos para se dar conta de que
o avião só chegaria ao aeroporto do Rio perto de três da tarde. Isto
sem levar em consideração o fato de que sempre se perde algum tempo
entre sair do avião e chegar até a fila do táxi (que pode ser extensa)
e também sem considerar as várias possibilidades de engarrafamento
do trânsito entre o aeroporto e o consultório do médico. M.M. estava
em tratamento de uma gastrite de fundo nervoso atribuída ao excesso
de estresse e nem assim se dava conta da tensão que criava para si
mesmo ao se obrigar a horários tão apertados ou —como neste caso
— simplesmente impossíveis de serem cumpridos. É comum encontrar-
se agendas de executivos com horários congestionados ou até
mesmo superpostos.

Saber dizer não, principalmente para si mesmo. Para os outros, muitas
vezes, não é necessário se dizer não, pois muitas das dificuldades
acabam por si mesmas.

Parar de tentar fazer tudo ao mesmo tempo.

Lembrar que o exercício físico pode descansar, pelo estímulo à produção
de endorfinas.

Evitar se apressar, chegar antes da hora nos encontros, levar algo para
ler ou para fazer enquanto espera, para aproveitar o tempo e não se
sentir desperdiçando-o. Lembrar-se de que um dos maiores prazeres
da vida é a leitura, para o qual não se depende de nada, nem de
ninguém, apenas de um bom livro. É uma atividade em que todos os
alfabetizados são auto-suficientes.

Tentar descobrir o que mais gera tensão e evitar.

Zelar pelo futuro. Não aceitar compromissos e incumbências desagradáveis,
ter cuidado com a aceitação dos compromissos futuros.
Muitas vezes a pessoa se dá conta de que aceitou um compromisso
simplesmente porque, como era agendado para muitos meses à frente,
parecia fácil de ser cumprido. Um belo dia chega o momento de
enfrentar a obrigação assumida e a pessoa percebe que criou uma
desnecessária armadilha para si mesma. É como as dívidas no cartão
de crédito que depois “aquele idiota” (que é ela mesma) vai pagar. É
preciso ser otimista, realista e atento com os compromissos, principalmente
os futuros.

Administrar a inveja (das lanchas dos amigos, dos carros novos deles
etc.), pois ela causa estresse. Para isto, é fundamental admitir que ela
existe. Às vezes não se percebe a emoção negativa que invade o
subconsciente ao usufruir dos prazeres que um amigo rico pode
proporcionar. Muitos aceitam estas situações com tranqüilidade, o
que não costuma acontecer com as pessoas muito competitivas.

Evitar a companhia de pessoas de que não se gosta, principalmente
parentes (que a pessoa considere) desagradáveis.

Atentar para o fim de semana. É importante saber selecionar o lazer
e observar se se sente bem após o dia de descanso. Deve-se aprender
a melhor forma de recarregar as baterias.

Procurar comer devagar, mastigando lentamente, sem se envolver
com preocupações enquanto come. Convém evitar refeições de negócios.

Tirar férias regularmente, em extensão adequada à própria personalidade,
pois há pessoas que gostam de longas férias enquanto que
outras preferem tirar férias curtas e mais freqüentes.

Fazer um balanço do dia, observando que por vezes as pessoas
exageram a importância, a urgência e a imprescindibilidade de certas
providências.

Controlar a raiva, tentando ver o ponto de vista do outro. Dar um
tempo, respirar fundo, “contar até dez”, não levar a sério entreveros
com desconhecidos são providências bem-vindas.

Sempre se perguntar se é preciso ser tão competitivo, tão bem sucedido.
É importante entender de onde vem a cobrança de resultados
positivos em todas as áreas da vida.

Procurar ter repouso suficiente, dormir bem é fundamental. Tentar
praticar relaxamento e/ou meditação.

Lembrar-se de que, se relaxar o corpo é tão bom e saudável para o
organismo, para a mente também deve ser.

Fonte: A LINGUAGEM DA SAUDE, Luiz Alberto Py e Haroldo Jacques, Ed. Campus.

sexta-feira, 10 de julho de 2009

Somatizações

Entrevista com Cristina Cairo, psicóloga que promove a autocura:

video

sexta-feira, 5 de junho de 2009

Terapeuta Ucraniano conta como conseguiu reverter sua cegueira

As doenças, principalmente as irreversíveis, sempre atuaram entre os homens provocando medo e angústia. Ao se depararem com a problemática de adquirir um mal que não terá cura, as pessoas se dirigem a todos os meios e processos imagináveis, como o esoterismo, a paranormalidade e o espiritismo, na tentativa de reverter tal situação. São inúmeros os relatos de pessoas que recuperaram a saúde ou que negaram a condenação à morte. A Auto-Cura é algo que a ciência não explicou e que não se pode prever. Imagina-se que esteja ligada a uma enorme energia interior que consegue agir diretamente ao corpo físico. O caminho para a compreensão destes fenômenos corresponde a um universo abstrato, povoado pelas dúvidas e suposições. Durante passagem pelo Brasil, oportunidade em que realizou uma série de palestras e workshops, o terapeuta Meir Schneider concedeu uma entrevista a esta reportagem para contar sua experiência. Meir nasceu na Ucrânia em 1954 com Catarata Congênita, além de outras complicações visuais. Foi criado como uma criança cega e alfabetizado pelo método Braille. Aos 16 anos, resolveu iniciar uma luta contra a cegueira, recuperando, aos 17, 80% de sua visão. Com base em seu trabalho pessoal, Meir desenvolveu um método de reabilitação denominado Self-Healing. Em 1975 emigrou-se para os Estados Unidos, país onde se encontra radicado atualmente, e difundiu seu método. Meir conta que quando nasceu, a medicina ainda não tinha evoluído o suficiente para que se evitasse sua cegueira. "Quando uma criança nasce, ela enxerga por um momento, depois, durante suas primeiras oito semanas de vida, ela não vê mais nada. Após este período, o cérebro começa a enviar estímulos para que os olhos da criança iniciem o processo de desenvolvimento da visão. Caso os olhos não correspondam a estes estímulos, a criança fica cega, uma vez que a mente dela entenda assim", explica o terapeuta. Se durante o período de oito semanas Meir tivesse sido operado, seus olhos seriam capazes de responder aos estímulos que sua mente enviava. Os dois filhos de Meir também nasceram com Cataratas, mas, como foram operados no intervalo destas oito semanas, puderam desenvolver sua visão normalmente.

Sentidos: Como utilizar nosso corpo físico e nossa mente no auxílio à cura de doenças?
Meir: O corpo tem um potencial incrível de se curar e de se proteger. Existem muitas maneiras de encontrar este potencial. Normalmente você encontra o que procura. Se você olha o corpo como um engenheiro, procurando algo que precisa ser concertado, você o enxerga de uma forma parcial e não completa. Mas se você olha o corpo como algo que pode ser melhorado e funcionar melhor, então você encontra respostas de como fazer isto.

Sentidos: E quais seriam estas maneiras?
Meir: Nós temos 600 músculos no corpo e a maioria das pessoas utilizam apenas 50. Os músculos que não são trabalhados tendem a ter sua mobilidade prejudicada. Podemos estar relaxando os músculos que mais usamos e fortalecendo os outros. Este é o primeiro princípio de nosso trabalho: utilizar o potencial que temos. O segundo é o relaxamento. Eu não acredito em trabalhar duro para conseguir coisa alguma, eu acredito em trabalhar da forma mais relaxada possível.O terceiro princípio é a conexão entre a mente e o corpo. A mente é capaz de bloquear as melhores coisas de nosso corpo e vice-versa.

Sentidos: Você fala em trabalhar sem esforçar muito os músculos. O que acontece então com os esportistas que trabalham exaustivamente seus músculos?
Meir: Eu corro muito, às vezes até 40 km e sempre de uma maneira relaxada. A sensação ao correr tem que ser confortável, se não for, você paga um preço alto. Eu não vejo atletas com vida longa, eles normalmente não passam dos 60. O importante não é o que você consegue alcançar, mas a forma com que se alcança.

Sentidos: Nós criamos nossas doenças?
Meir: Algumas vezes sim, outras não. Mas nós podemos corrigir as patologias de nossa mente. O meio exterior provoca a maioria de nossas doenças, mas nós as exacerbamos com a nossa mente. Um bom exemplo sou eu mesmo. Na minha infância eu lia em Braille e quando eu olhava de perto para entender as letras, meu professor dizia: olhe para longe, você precisa aprender a sentir as letras. Fui instruído a esquecer que eu sabia ver. É isto que a mente faz com as nossas funções, ou melhora ou piora.

Sentidos: Conte um pouco mais de sua experiência.
Meir: Eu nasci com cataratas e esse não é um problema para adultos. Se você tem cataratas quando adulto, poderá ter o cristalino removido e passar a ver 95% do que via antes, sem maiores problemas. Mas se você nasce com cataratas, a coisa é diferente. Eu fui operado com quatro anos, com esta idade estava muito atrasado para conseguir a cura, pois a operação deveria ter sido feito entre minhas primeiras oito semanas de vida. Apesar de minha operação não ter tido sucesso, minha avó, que tinha uma filha surda e era muito curiosa, procurava levantar tudo o que tinha no mundo da medicina e persistia em outras operações. Fizeram todo tipo de experiência nos meus cristalinos, passei por cinco operações e acabei ficando apenas com 0,75% da visão. Fui criado como uma criança cega, mas eu não aceitava este rótulo de ser cego. Esta foi a razão pela qual eu consegui sair desta condição.

Sentidos: Como começou a desenvolver os exercícios?
Meir: Um colega me passou os exercícios que tirou de um livro de um oftalmologista americano. Eu passava treze horas por dia praticando exercícios. A primeira coisa que minha professora ensinou era que, para enxergar, precisaria relaxar os olhos. O que pra mim foi difícil porque eu pensava: como relaxar olhos cegos? O método que desenvolvi consiste em praticar exercícios com os músculos profundamente relaxados, estimular a oxigenação celular através de técnicas respiratórias e massagens corporais. O objetivo do método é criar uma conexão entre a mente e o corpo.

Sentidos: Você acredita que as pessoas podem se curar pela Fé?
Meir : A fé pode fazer algumas coisas. Você pode acreditar que as coisas vão mudar, mas você tem que colaborar para isto, para as coisas acontecerem.

Sentidos: Você gostaria de deixar alguma mensagem?
Meir: Sim. Hoje em dia eu sinto que as pessoas querem ter realizações através de caminhos curtos. Minha mensagem é que as pessoas percebam que precisam se abrir para as possibilidades que o corpo tem, precisam conhecer seu próprio potencial. Para se curar através do método que desenvolvi, a pessoa tem que acreditar no potencial de seu corpo.

Serviço

Para conhecer melhor Meir Schneider e o Método Self-Healing
Livros publicados:
Uma Lição de Vida - Editora Cultrix (My Life and Vision - Editora Penguin) traduzido em oito idiomas.
Manual de Autocura - volumes I e II Método Self-Healing - Editora Triom (The Handbook of Self-Healing - Editora Penguin)
Site: http://www.self-healing.com.br/

Fonte: http://sentidos.uol.com.br/canais/materia.asp?codpag=2000&codtipo=2&subcat=57&canal=talento